Jets Brasil – Precisamos De Mais Consistencia No ST

Arthur Irwin for Jets Brasil on how the team can improve their special teams…

O New York Jets tem um dos corpos de ST mais insólitos da NFL. Enquanto na mesma divisão, o time dos Patriots investe pesado no time de especialistas, o Jets convive ano a ano com problemas no setor. Isso é muito importante em pontos críticos do jogo.

Nesse imbróglio, o time fez um draft por indicação do coordenador de ST, Brant Boyer, RB Trenton Cannon que já chega para acabar com a ciranda de retornadores. Não temos um retornador fixo que chame a responsabilidade de capitanear esse setor do campo há muito tempo.

Para lembrar apenas de um episódio que isso custou caro. O Jets perdeu para o Atlanta Falcons no dia 29 de outubro do ano passado estando com o time do Falcons ganhando a menos de uma posse de bola no último quarto. Sendo que, o time dos Falcons ia devolver a bola pro Jets através de um punt. O que ocorreu? Fumble e mais uma derrota por falhas no último quarto de jogo.

A falta de um retornador sólido (além dos erros cometidos ao longo do jogo) custaram uma vitória ao New York Jets, isso aconteceu diversas vezes principalmente nos 2 últimos anos. A função de retornador pode garantir uma vitória e é tão vital quanto ter um bom kicker. Boyer teve a oportunidade de selecionar alguém de sua confiança, agora ele terá que produzir de qualquer forma, melhorar esse corpo de jogadores é dever dele que já vai para o terceiro ano na franquia.

Além disso, o Jets insiste em não trazer outro punter para disputar com Lachlan Edwards, o jovem continua trabalhando sozinho mesmo tendo oscilado bastante. Os leitores podem olhar para mim e dizer: Arthur, mas não seria normal que o jogador com pouca idade oscile, principalmente numa posição como punter? De fato, contudo, o Jets não é uma escolinha, é um time profissional de futebol americano que precisa ter os melhores em cada posição. Esse melhor pode ser Edwards, isso é perfeitamente possível já que o australiano mostrou que tem uma excelente perna e isso é realmente o objetivo de ter competição e definição do melhor com o crescimento dos atletas.

Isso que acabei de dizer é o que acontece na posição e kicker onde Taylor Bertolet e o brasileiro Cairo Santos disputam vaga do roster e, apesar de achar que o norte-americano ia ser presa fácil para o brasileiro, Taylor está treinando muito bem e fazendo pressão em Cairo.

Esse fato é o que propicia a melhora de um time. Nesse ponto, com um ataque mais consistente, os olhos ficarão ainda mais em cima de outros setores do time como ST e se não conseguir desenvolvimento satisfatório nesse ano, talvez seja o último ano de Brant Boyer nos Jets.