Jets Brasil – Melhora De Talento Do Corpo De QBs Do Jets

Arthur Irwin for Jets Brasil on the improved quarterback depth chart for the New York Jets…

No ano passado, o corpo de quaterbacks do Jets era motivo de chacota. O time tinha Josh McCown, Bryce Petty e Christian Hackenberg. A situação melhorou com a atuação de Josh McCown, que jogou de forma muito consistente até sua lesão. Contudo, quando o veterano teve diagnosticada a fratura na mão esquerda, percebeu-se que realmente o cobertor era curto.

Petty teve (mais uma) oportunidade e não conseguiu fazer o ataque do Jets, que até então estava funcionando como um “reloginho”, funcionar de forma aceitável. De lado quase oposto, Christian não conseguiu demonstrar a menor condição de atuar. O Jets evidentemente protegeu o jogador e não o colocou cru em campo.

De fato, o corpo de QBs do Jets era realmente sofrível. Sabia-se a essa altura que o Jets iria selecionar um QB no primeiro round. Seria ele, Sam Darnold, Baker Mayfield, Josh Allen ou Josh Rosen? Essa era a única dúvida que pairava sobre a cabeça do torcedor do time de Nova Iorque.

Contudo, a chegada de algum QB de talento ainda deixaria o corpo de QBs de Jets numa situação ruim. Pois, McCown tem problemas de saúde constantes e os outros dois backups não apresentavam nada demais para poder se desenvolver.

Com isso, o Jets fez um excelente movimento no começo dessa offseason ao trazer Teddy Bridgewater. Tanto o jogador, quanto o momento em que ele foi trazido foram especialmente importantes para a melhora como um todo do elenco do Jets.

Teddy chegou no momento em que ele estava na fase final de reabilitação de DM e começando a poder começar a participar de momentos dentro do campo e fortalecimento muscular. A chegada dele deu mais tranquilidade a transição de QB, já que agora temos ele e McCown para assumir o tranco caso Darnold não dê conta de estar em condições de produzir em alto nível.

Além disso, Teddy e sua pouca idade (24) pode ser uma excelente moeda de troca na free agent. O Jets tem um baita cap, mas Teddy traz a possibilidade de a negociação envolver jogadores ou mesmo picks de drafts.

O Jets não tem picks de 2° round no ano que vem, não vejo como nenhum absurdo a troca de Teddy por um segundo round se de fato ele mostrar que está 100% fisicamente. Ora, ele já mostrou que tem talento para ser um franchise QB em Minnesota.

Logo, o corpo de QBs do time de NY passou da água para o vinho. Principalmente com a saída de Bryce Petty e Christian Hackbeng. Agora o time tem 3 jogadores que podem assumir a batuta do ataque e não ficarei assustado com isso. Evidentemente não quero a lesão do Darnold, mas em qualquer tipo de problema, Bates poderá escolher entre McCown e Teddy e qualquer um não me deixará assustado. No ano passado, ao contrário, qualquer dos reservas, Hack ou Petty, à época da lesão do McCown, me fazia ter calafrios.  

Photo Credit: NFL.com