Jets Brasil – Leonard Williams Está Pronto Para Ser O Novo Líder Da DL

Arthur Irwin for Jets Brasil on the future of Leonard Williams and his expectations on the 2018 New York Jets

Muhammad Wilkerson está em Green Bay para jogar pelos cabeças de queijo, no rival, o Minnesota Vikings está Sheldon Richardson. A tríade de DL que chegou a ser considerada pela NFL Network como a 3° melhor da liga foi quase que totalmente desmantelada.

Digo quase porque um deles continua nos Jets, é o DL Leonard Williams, conhecido como “Big Cat”. Ele foi o único da linha que ficou alheio a problemas extracampo na fatídica temporada de 2016/2017. Com isso, depois da limpa na linha, ele tornou-se uma referência defensiva, posto que é tentado pelo S Jamal Adams.

É sabido, por exemplo, que Leo foi o jogador que teve mais contato com o QB Sam Darnold quando esse foi draftado. Pelo menos uma coisa eles tinham em comum, ambos veem da USC. Além disso, ele tornou-se um capitão defensivo e foi ele que retirou o ILB Darron Lee de uma suposta briga com a namorada numa festa no ano passado. No incidente, que inclusive foi gravado, Leo empurra o ILB para fora do clube fazendo sinais e dizendo para ele ficar calado, numa atitude de muita liderança.

A liderança que ele demonstra não parece ser de atividade de puxar o círculo de jogadores ou coisa do tipo. Naturalmente, Leo já exerceria uma liderança técnica, contudo, além disso, abruptamente, antes da chegada do Adams, Leo era o jogador mais talentoso da defesa. Não entrarei aqui na disputa de quem é melhor ele ou Adams, ambos são brilhantes, apesar de achar o Adams com um teto de talento maior.

Muitos apontaram – principalmente, depois que ele começou a perder potência de Mo Wilkerson e de Sheldon do seu lado – uma queda de rendimento em Leo. Espera-se que ele simplesmente esmagasse OLs adversárias. Contudo, a dobra de marcações em cima do jogador foi aumentando progressivamente, na posição de DT o Jets não tinha nomes imponentes, e de DE ele era francamente melhor que os demais de forma que ele foi sobrecarregado de snaps e de marcação. Isso tudo unido a um pass rusher simplesmente inexistente quando em situações de defesa honesta, ainda piorava a situação dele.

Contudo, ponto curioso que mostra a liderança de Leo, mesmo decaindo por esses fatores, não houve uma crítica ou rusga no vestiário. Ele continuou sendo muito respeitado e escalado como capitão. Agora, ele terá sob a sua batuta os jovens DT Folorunso Fatukasi e Nathan Shepherd. Com isso, ele terá que ser um jogador ainda melhor para poder retirar dos calouros a pressão da marcação dupla.

Além disso, ele e Adams não precisam (e não estão fazendo isso) competir pela liderança. Ambos podem auxiliar na construção de novos ídolos, já que eles podem ser os novos ídolos dessa nova fase do New York Jets.