Jets Brasil: Qual A Import Ncia Do Conbine Para A Selecao Do Jets?

Arthur Irwin for Jets Brasil on the importance of the NFL Scouting Combine to the Jets

Estamos na semana do Combine, evento que ocorre todos os anos com os jogadores de College dando a oportunidade deles poderem demonstrar habilidade, força, explosão e inteligência na frente dos responsáveis pelo draft de cada equipe.

O Jets tem como principal responsável pelo seu draft o GM Mike Maccagnan que tem um perfil de jogador bem definido como sendo jogadores jovens com bom desempenho físico e que não apresentem problemas extra-campo. Por isso, é quase certo que o time não pensa em trazer jogadores com histórico de discussões ou rixas no vestiário (o que deixa ainda mais interessante e intrigante a insinuação de que o Jets estaria interessado no QB Baker Mayfield).

Analisando o Combine em comparação com as escolhas do Jets, percebe-se o que time dá muita importância para o evento. Por exemplo, o LB Darron Lee não tinha feito uma temporada esmagadora em Ohio State, mas o Combine dele destacou o jogador, ele foi o LB mais rápido no tiro de 40 jardas com 4.47 segundos. O jogador ainda foi o 3° LB mais rápido no tiro de 20 jardas, fazendo o percurso em 4, 20 segundos. Essa velocidade foi difícil de ser reconhecida pelo técnico Todd Bowles no primeiro ano de Lee com os jatos, mas já a partir do segundo ano, esse ponto foi explorado ao extremo. Contudo, Lee conseguiu apenas 17 repetições no treino de força o que deixa bem claro que Mike prefere jogadores mais ágeis, geralmente os mais jovens a jogadores mais fortes, isso será de grande importância na análise dos Edges que provavelmente deve ser uma posição que os Jets devem ir atrás na seletiva do final de abril. O jogador conseguiu ser o 5° em pulo com 90 cm, aproximadamente e foi 1° em pulo para a frente com 3,37 m. Isso demonstra que o time provavelmente não irá atrás de LB pesados que tenham um punch muito poderoso, mas sim jogadores com mais velocidade para fazer o turn around e atingir o QB, nesse ponto a velocidade do primeiro passo deverá ser um fator muito importante na avaliação do scout de Mike Maccagnan. Dessa maneira, edges como Sam Hebbard da mesma faculdade que revelou Darron Lee devem estar fora do radar do GM.

Na posição de RB, que deverá ser uma posição buscada pelo Jets, o mais recentemente draftado foi Elijah McGuire de Lousianna-Lafayette. Claro que foi uma aposta de late round que não teve nenhuma marca de grande destaque no draft. Mas, conseguiu ser o 12° no tiro de 40 jardas com 4,53 segundos, a frente de jogadores como Aaron Jones que posteriormente seria pego pelo Green Bay Packers. Assim, o RB ficou apenas 0,02 segundos atrás do primeiro RB selecionado na classe, Leonard Fournette de LSU selecionado na pick de n° 4 pelo Jacksonville Jaguars. Contudo, novamente no teste de força, McGuire fez metade das repetições que o RB Semaje Perine, 1° no quesito, ou seja, apenas 15, isso corroborava o problema que ele tinha no college em seu stiff-arm e quebra de tackles, novamente o Jets dá prioridade a velocidade em detrimento da força, nesse sentido continua fazendo bastante sentido a seleção de Sony Michel no 2° round.

Outra posição procurada pelo Jets é da de QB. O time, caso não consiga trazer o free agente Kirk Cousins, deve selecionar um jogador dessa posição no draft. E advinha no que o último QB draftado pelos Jets, Christian Hackenberg, se destacou no combine? Exatamente, velocidade, o QB de Penn State foi o 4° no tiro de 40 jardas, 0,01 segundo atrás de Carson Wentz. O jogador no teste de força foi apenas o 9° em repetições com 31, 5 atrás de Paxton Lynch que era cogitado como possível escolha dos Jets na 1° rodada. Ele foi o 5° em cone drill, mostrando a primazia pela velocidade. Apesar disso tudo, Hackemberg se provou um pocket passer de precisão abaixo da média. O QB ainda tem mãos pequenas se comparadas a maioria dos QB, idêntica à medição de Jared Goff na época do draft de 22 cm. O jogador assim como os outros é mais leve que a maioria, pensando 101 Kg o que certamente o ajudou a conseguir uma velocidade maior. Isso também se deve pela idade. Nesse perfil, jogadores que devem se destacar são: Josh Rosen, pela estrutura física mais franzina ou Baker Mayfield e Lamar Jackson que tem uma estrutural corporal mais explosiva. A mão ainda pode ser comparada com a Baker que parece ser bem pequena.

Quanto a OL, o único que foi escolhido por Mike foi Brandon Shell no draft de 2017. O jogador que veio da Universidade de South Carolina não conseguiu um bom tempo no tiro de 40 jardas com 5,22 segundos. Mas, o jogador foi o terceiro OL em impulsão com 2,84 m, o que mostra uma massa muscular muito maior e também descaracteriza os jogadores pesados. Nesse ponto, acho que jogadores com padrão físico mais pesado não devem estar no board de Mike para o draft de OL como Will Hernandez, OG de UTEP. Quanto ao teste de força novamente não parece ser um parâmetro observado pelo scout de Mike, Brandon Shell fez apenas 22 repetições o que é considerado um número baixo para sua posição.

Pode ser que Mike mude totalmente seu trabalho de scout e decida ir por outro caminho, mas isso é muito difícil, devemos olhar para jogadores jovens com boa velocidade e trabalho de impulsão, trabalho em supino não irá impressionar a war room do Jets. Isso continua acontecendo mesmo com Jamal Adams que foi entre os DB o 2° mais rápido no tiro de 20 jardas com 4,13 s e foi apenas o 7° no supino com 18 repetições.