Jets Brasil – Sera Que Precisamos De Outro WR?

Arthur Irwin for Jets Brasil on if the team needs another wide receiver…

Nesses meses que estamos passando pouco de notícia há. A free agency só irá começar no início de março e até lá os times irão apenas fazer renovações mais simples e dispensas.

Para a alegria dos que acompanham analisando futebol americano e para a tristeza dos torcedores do Jets, o staff que envolve o General Manager Mike Maccagnan é muito competente na blindagem de informações. Assim, muitas especulações envolvendo os Jets se iniciam e se desenvolvem por causa dos fãs. Uma dessas era do WR Jarvis Landry. Landry é um excelente WR de slot que perigava ir para a free agency e poderia receber uma oferta de alguns times como o Baltimore Ravens e sim, o New York Jets. O Miami Dolphins se movimentou rápido e colocou já na abertura da janela, uma tag em seu jogador que custará aos times da Flórida pomposos quase $ 16 milhões

Com a saída de Landry do mercado e a euforia que alguns torcedores criaram de sua contratação me fizeram pensar se de fato necessitamos de um WR e 2, se necessitamos de um WR como ele.

Bom, o trabalho sólido de Landry no slot de fato é muito bom, o desempenho físico e as boas mãos do jogador fizeram dele um excelente alvo para Jay Cutler, mas jogando no slot temos boas opções. A primeira dela é Quincy Enunwa. Sim, ele mesmo. O WR que conviveu com lesões no pescoço no ano passado atuou muito bem no ano anterior tanto no slot, como jogando de H-back como Split end. Agora totalmente recuperado, Enunwa será uma excelente peça para nosso ataque.

Além do ex-jogador de Nebraska, o Jets conta com Robby Anderson que teve uma das evoluções mais impressionantes do ano passado, passando de um WR que contribuía muitas vezes para “esticar” (espalhar no campo) os safeties e em big plays para um WR que contribuiu bastante jogando como split end e que mesmo não tendo um físico que impusesse respeito, o senso de colocação e a sintonia com Josh McCown fizeram dele a arma mais perigosa do nosso ataque, sendo o segundo com mais recepções com 63 para 941 jardas e liderando o time em recepções de TD com 7.

Dos jogadores que não vieram do draft ainda merece destaque o recém-chegado Jermaine Kearse que teve um trabalho fundamental principalmente trabalhando entre os LB em passes curtos, bem como manteve um nível de recepções interessantes deixando as defesas confusas sem definição de um WR1 que puxasse a marcação por ter muito mais qualidade que os outros. O jogador ainda foi protagonista de jogadas plásticas e com seu potente stiff-arm foi o jogador com mais recepções, 65, para 810 jardas e 5 TD. Assim, ele comprovou a excelente troca feita por Mike Maccagnan envolvendo a resolução do problema que era Sheldon Richardson e ao mesmo tempo angariando uma ótima escolha de 2° round que poderá ser gasta tanto num RB (Sony Michel ou Ronald Jones II) ou mesmo um OL (Will Hernandez, Chukwuama Okorafor ou mesmo James Daniels).

As grandes incógnitas são os dois segundo-anistas: ArDarius Stewart, que tudo indica que foi uma escolha pedida pelo antigo OC John Morton, trabalha de forma muito forte e foi pouco utilizado devido a 2 fatores: a tendência de Bowles de agasalhar os rookie também os problemas físicos dele e do que falarei a seguir que fizeram com que ambos perdessem grande parte da pre-season. Mas, se Stewart jogou pouco Chad Hansen não jogou quase nada, ele entrava na esmagadora maioria das vezes para participar de bloqueios para o jogo corrido ou mesmo quando o time ia jogar em pistol em que mais WR entravam em campo. Somados eles tiveram apenas 15 recepções para 176 jardas. Vamos ver como será o trabalho deles agora sobre o comando de Bates.

Quanto aos dois anteriores anima muito o trabalho de Karl Dorell, WR coach a 4 anos e até cogitado para OC quando da demissão de Chan Gailey, impressionante o quanto ele tira de tão pouco, o crescimento excelente de Anderson é incrível se pararmos para lembrar que ele foi UDFA, ou seja, salário baixo, sem gastar picks do draft e ainda conseguindo produzir quase 1000 jardas e liderar o time em TDs é simplesmente incrível.

Quanto ao draft, apesar de me encantar mais com James Washington, WR de Oklahoma State, pelo trabalho impressionante tanto no slot como no split end, além de ter um corpo atlético que permite mais contatos com LB, por característica se é para selecionar um WR via draft seria Courtland Sutton de SMU pelo excelente trabalho no back shoulder, combinado com um salto muito firme, o trabalho bom em rotas profundas pode ser um nome interessante apesar de não ter enfrentado as universidades tops do College americano. Dito isso, acho que WR não deve e não pode ser o grande foco dos Jets porque temos necessidades muito maiores, além de QB evidentemente, precisamos de CB, LG, C, EDGE (mais de um), RB, DT e talvez um DE com a possível saída de Muhammad Wilkerson.

Photo Credit: NewYorkJets.com